Anvisa quer superar atraso em TI em 2019 e poupar R$ 30 milhões com CIVP digital

Agência deve lançar certificado digital de vacinação em janeiro; há ainda outros projetos em andamento

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve lançar nos primeiros dias de janeiro o processo digital para obtenção do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). Trata-se de documento exigido por alguns países para comprovar a vacinação contra doenças.

A ideia é reduzir 70% da força de trabalho que hoje atua no processo manual, o que levaria à economia de R$ 30 milhões anuais. Há 950 profissionais dedicados ao processo analógico, que recebe cerca de 2 mil solicitações diárias.

Os dados surgiram de diálogo para modernização de TI na Anvisa, feito com o secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do Ministério do Planejamento (SETIC/MPOG), Luis Felipe Salin Monteiro.

Segundo o secretário, o novo software permitirá que uma pessoa abra o formulário online, preencha alguns dados e faça upload da foto de documentos exigidos. A expectativa é que o serviço seja concluído pela Anvisa em um dia, com assinatura digital.

O principal entrave hoje para conseguir o documento é a necessidade de ir até uma unidade emissora. No maior estado do Brasil em área ocupada, o Amazonas, há apenas quatro pontos de emissão.

A Anvisa e a SETIC estimam custo de R$ 89 milhões anuais à sociedade para conseguir o documento. O cálculo é feito com variáveis como tempo médio de deslocamento e tempo de espera no ponto de emissão, projetadas sobre indicadores sociais.

Outros projetos

O secretário Monteiro disse que há dois projetos em fase avançada de implantação na Anvisa. Um deles é sobre a Tabela de Conteúdo de Fenilalanina em Alimentos. O outro trata da emissão de Certidão de Venda Livre para Exportação de Alimentos (CVLEA).

Há ainda discussão para desenvolver softwares sobre Autorização de Funcionamento (AFE). Neste caso, o volume de pedidos é alto devido ao número de farmácias e drogarias no país, disse Monteiro. Ainda se planeja um canal digital para autorização de aquisição de medicamentos sujeitos a controle especial.

Dados da Anvisa

A Anvisa oferece 34 serviços, sendo 59% digitais. O percentual é acima da média da burocracia federal, que tem 1.813 serviços, com 42% digitais.

A SETIC estima levar de três a cinco meses para cumprir um pedido da Anvisa para elaboração de software. Segundo Monteiro, a agência está no centro do projeto de digitalização de serviços do governo federal.

 

Por Mateus Vargas

Fonte: https://www.jota.info/tributos-e-empresas/saude/anvisa-quer-superar-atraso-em-ti-em-2019-e-poupar-r-30-milhoes-com-civp-digital-31122018

 

 

Comentários

Comentários