As múltiplas vantagens da tecnologia no apoio aos profissionais do Direito

Sistemas inteligentes já estão disponíveis e chegaram à área jurídica para desburocratizar muitas rotinas, trazendo mais produtividade e assertividade aos processos

Patrícia Tavares (*)

Quando o assunto é transformação digital é comum associar o assunto a gigantes equipamentos robóticos apenas acessíveis às grandes empresas globais. Mas é aí que está o engano. Os sistemas inteligentes já estão disponíveis no dia a dia das pessoas e chegaram para desburocratizar muitas rotinas, trazendo mais produtividade e assertividade aos processos.

Na área jurídica não é diferente. Os profissionais já podem contar com o auxílio de softwares e plataformas capazes de ler, interpretar e organizar dados, além de outras funcionalidades. A chegada da automação e da Inteligência Artificial impressiona. A tecnologia vem para trazer facilidade, agilizar tarefas e reduzir a incidência de erros, por exemplo.

Tudo isso para que os profissionais destinem seu tempo ao que realmente faz diferença: estudar estratégias para os casos dos clientes e melhorar qualitativamente a tomada de decisões. O mercado jurídico é um campo cheio de oportunidades para aplicações usando Inteligência Artificial.

Estudo realizado pelo McKinsey Global Institute revelou que a adoção de técnicas de Inteligência Artificial deve acrescer US$ 13 trilhões à economia global até 2030. Com isso, fica claro que essa é uma tecnologia para a qual o mundo se volta neste momento com vistas a reduzir custos e melhorar sua produtividade.

Novas propostas tecnológicas já existem no mercado para o universo jurídico. Temos soluções em Big Data, que processam os dados de forma rápida, o que traz agilidade em pesquisas e consultas. Além disso, os algoritmos podem sugerir decisões, apontar riscos e incoerências. Outro diferencial é o Machine Learning (aprendizado da máquina) que permite que o algoritmo aprenda com as próprias experiências, o que traz melhorias aos processos ao longo do tempo.

Os softwares de Jurimetriautilizam a estatística aplicada do Direito para analisar dados de processos eletrônicos, o que pode auxiliar, e muito, a decidir as abordagens mais aceitas, com base nas melhores probabilidades já registradas em casos concretos, por exemplo, entre outras aplicações que podem ser determinantes para o índice de sucesso.

Eliminação de processos manuais

A extração automatizada de dados de documentos permiteeliminar esse processo manual e pode proporcionar muito mais agilidade. Já existem softwares capazes de extrair informações personalizadas, de acordo com a sua necessidade, de documentos digitais ou em papel. Além da captura, também podem processar, validar e gerenciar o conteúdo dos dados. O que trará mais velocidade, acurácia e confiabilidade aos processos, sejam eles de escritórios ou de departamentos jurídicos de empresas.

Para se ter uma ideia de como a aplicação pode ser ampla, alguns países já estão usando a realidade virtual para reconstruir cenas de crime. As inovações nesse segmento são incalculáveis, pois à medida que os sistemas vão ficando mais inteligentes e automatizados, maiores são os ganhos.

Há ainda um universo a ser explorado na aplicação da tecnologia e da Inteligência Artificial no âmbito jurídico. Algumas das possibilidades envolvem a análise preditiva na advocacia, organização de prazos e tarefas, mecanização da jurisprudência, automatização na criação de contratos e documentos legais, além de orientações sobre a interpretação e aplicação das leis.

Não dá dúvidas, a tecnologia vem para melhorar a qualidade dos serviços prestados, mitigar falhas e trazer as melhores resoluções para os clientes, sempre com o objetivo de proporcionar mais agilidade e assertividade a todos.

(*) CEO da NeuralMind

FONTE: https://lawinnovation.com.br/tecnologia-a-servico-do-direito/

Comentários

Comentários