Banco alemão oferece contas especiais para empresas que trabalham com criptomoedas

Quem acompanhou o crescimento do mercado de criptomoedas no ano passado, especialmente aqui no Brasil, certamente conhece pelo menos uma exchange ou empresa desse mercado que teve a sua conta bancária bloqueada por algum grande banco.

Bancos, especialmente os de grande porte, costumam sentir-se ameaçados pelo crescimento do uso de moedas digitais como o Bitcoin, seja porque temem perder os seus clientes, seja porque o uso de ativos digitais ainda não é claramente regulamentado – e isso leva as instituições financeiras serem mais restritivas com empresas de criptomoedas ao ponto de impedirem a abertura de contas bancárias ou até mesmo de cancelar as contas já existentes.

Por outro lado, algumas instituições seguem o caminho oposto e oferecem condições especiais para que os seus clientes possam trabalhar com ativos digitais de forma segura. É o caso de um banco na Alemanha, o qual resolveu criar contas especiais para empresas que trabalham com Bitcoin e outros ativos digitais.

Contas especiais para Bitcoin e blockchain

Solarisbank é um banco digital alemão que funciona nos mesmos moldes que bancos similares aqui no Brasil, como o Neon e o Inter. O banco anunciou o lançamento de um serviço intitulado Blockchain Factory, que, segundo o próprio Solarisbank, faz com que as companhias que trabalhem nesse mercado tenha um “banco sólido e parceiro, que entende a tecnologia”.

“O BLOCKCHAIN FACTORY SERÁ USADO PELO SOLARISBANK PARA OFERECER SERVIÇOS BANCÁRIOS ÀS EMPRESAS CUJO NEGÓCIO É DIRETA OU INDIRETAMENTE LIGADO ÀS CRIPTOMOEDAS E À TECNOLOGIA BLOCKCHAIN. UM EXEMPLO DESSES SERVIÇOS É A ‘CONTA BLOCKCHAIN COMPANY‘ PARA O NEGÓCIO BANCÁRIO DE EMPRESAS DE BLOCKCHAIN”, EXPLICOU O BANCO. “ALÉM DISSO, SERVIÇOS PARA MERCADOS GLOBAIS DE CRIPTOMOEDAS SERÃO DISPONIBILIZADOS PARA FACILITAR A COMPRA E VENDA DE MOEDAS FIDUCIÁRIAS, COMO A CONTA CONFIDENCIAL AUTOMATIZADA DO SOLARISBANK, UMA CONTA DE GARANTIA AUTOMATIZADA PARA MERCADOS DE CRIPTOMOEDAS.”

Coexistência de sistemas

Além dos serviços bancários, o Solarisbank iniciou sua primeira parceria com outra empresa chamada VPE Bank. Os dois têm planos de fornecer criptomoedas a negociadores institucionais, como grandes fundos. Além disso, a empresa estabelecerá parcerias com empresas que lidam com cartões de crédito e débito dentro de seu modelo de negócios.

“AS MOEDAS FIDUCIÁRIAS NÃO ESTÃO PRESTES A SE DISSOLVER. ESTAMOS CAMINHANDO PARA UM FUTURO HÍBRIDO, NO QUAL O MUNDO BLOCKCHAIN AINDA TEM QUE PROVAR SEU VALOR. NO ENTANTO, NÓS ENXERGAMOS O PODER DISRUPTIVO DESSES MODELOS DE NEGÓCIOS E QUEREMOS AJUDAR A MOLDAR O FUTURO DESSA INDÚSTRIA”, EXPLICA O CTO DO SOLARISBANK, PETER GROSSKOPF.

Alta demanda

O Solarisbank tem se saído bem desde a sua criação em março de 2016, e firmou em uma parceria estratégica com a Mastercard em outubro daquele ano, com planos para construir novos módulos bancários. Em março, o Solarisbank levantou US$70 milhões em uma rodada de financiamento que contou com gigantes do setor bancário e de pagamentos, como ABN Amro, SBI Group, Visa, BBVA e Lakestar.

“HÁ UMA GRANDE DEMANDA DO MUNDO BLOCKCHAIN POR UM PARCEIRO LICENCIADO QUE REALIZE UMA PONTE TECNOLÓGICA E REGULATÓRIA PARA O SETOR BANCÁRIO TRADICIONAL. SENDO O SOLARISBANK UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA COM UMA LICENÇA BANCÁRIA, SOMOS O PARCEIRO NATURAL”, DISSE ROLAND FOLZ, CEO DO SOLARISBANK.

Levando em conta os casos de contas bancárias encerradas por empresas de criptomoedas no Brasil e a grande ascensão das fintechs, podemos esperar que em breve apareçam bancos que adotem práticas mais amigáveis em relação ao uso e negociação do Bitcoin por aqui.

 

 

 

Comentários

Comentários