É advogado e já usou print screen em casos de demissão por justa causa?

No Brasil, de acordo com um estudo produzido em 2018 pela agência We Are Social em parceria com a plataforma de mídia Hootsuite, mais de 140 milhões de pessoas – ou seja, dois terços da população – estão ativas em pelo menos uma rede social. Com isso, parcelas cada vez maiores das nossas vidas estão se passando online. Segundo dados de um levantamento do Comitê Gestor da Internet no Brasil em 2018, o país está, inclusive, em terceiro lugar no ranking global de tempo de permanência na rede: os brasileiros ficam, em média, 9 horas e 14 minutos por dia conectados!

Essa tendência, como não poderia deixar de ser, está presente também no mundo do trabalho. No entanto, sobretudo pelo fato de redes sociais ainda serem relativamente novas, muitas pessoas não possuem a real noção de seus impactos. O mau uso dessas redes pode levar a advertências e suspensões no trabalho e, a depender da gravidade, podem até mesmo configurar justa causa para que o empregado seja demitido!

Por isso, é cada vez mais comum que conteúdos em redes sociais sejam usados como prova em causas trabalhistas. Nesse post, nós explicaremos quais os casos mais comuns em que isso pode ocorrer, o porquê de não ser seguro o uso de print screen como prova, além de apresentaremos uma nova forma para que você possa coletar as provas sobre tais acontecimentos.

Maiores informações em: //originalmy.com/blog/1859/justa-causa-prova?utm_source=ab2l_divulgacao&utm_medium=ab2l_divulgacao&utm_campaign=ab2l_divulgacao_justa-causa

FONTE: Blog OriginalMy.

Comentários

Comentários