Governo venezuelano emite $100 milhões de criptomoeda baseada em petróleo

Nicolas Maduro, president of Venezuela, gestures during a press conference in Caracas, Venezuela, on Thursday, June 22, 2017. Since June 15, Maduro has named four new ministers: Mirelys Contreras as Prisons Minister; Ana Reyes as Culture Minister; Kyra Andrade as Communes Minister; Yamilet Mirabal Calderon as Indigenous Peoples Minister; and Samuel Moncada as foreign minister. Photographer: Carlos Becerra/Bloomberg

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou a emissãoo de $100 milhões de Petros, criptomoeda proposta pelo Estado e respaldada nas reservas de petróleo do país, consideradas as maiores do mundo.

A criptomoeda nacional venezuelana, o Petro, logo verá seu primeiro lançamento após o governo de Maduro ordenar a emissão de $100 milhões da moeda digital. Cada Petro terá seu valor diretamente relacionado com único barril de petróleo, relatou o jornal El Nuevo Herald. Com uma média de 60 dólares por barril até o momento do anúncio, o valor total de Petros estaria em torno de 6 bilhões de dólares.

Em um pronunciamento à TV estatal, Maduro declarou: “Eu ordenei a emissão de $100 milhões de Petros com o respaldo legal e certificado da riqueza petrolífera da Venezuela. Todo Petro será equivalente em valor, ao barril do petróleo”.

O primeiro encontro nacional de petro-mineiros acontecerá no dia 14 de Janeiro, data que o Petro será formalmente apresentado. A emissãoo de $100 milhões de Petros ocorrerá via “casas de cambio virtuais que atualemente estão em período experimental”, de acordo com a reportagem.

Petro: alternativa ao bloqueio financeiro

Conforme noticiado em dezembro, Maduro primeiro anunciou as criptomoedas como uma maneira de evadir e contornar as sanções econômicas e o “bloqueio financeiro”imposto pelo governo Trump. Em agosto, os EUA aplicou medidas financeiras incapacitantes que provocaram o bloqueio de acesso da Venezuela aos bancos internacionais e às finanças globais.

O Petro também será apoiado por outras commodities como o ouro e o diamante, Maduro adicionou. O pronunciamento do líder venezuelano foi recebido com criticas por seus opositores políticos que descartam o esforço como uma boa ideia; justamente em um momento em que a Venuzuela sofre com hiperinflação, a escassez de alimentos e uma recessão econômica cada vez mais profunda.

No entanto, isso não impediu Maduro de anunciar a criação de uma superintendência do Petro, dias antes do natal, criando, assim, um corpo separado para administrar e governar a nova criptomoeda e suas transações.

 

 

Por 

Fonte: CCN

Comentários

Comentários