Lunes – a moeda brasileira (entrevista com Co-fundador e CEO)

O que é a Lunes?

 

A Lunes é um projeto desenvolvido em terras nacionais e apresenta as seguintes soluções aos seus usuários: registros gerais (cartórios, patentes, documentos, etc.), contratos inteligentes, criação interna de tokens para projetos de financiamento coletivo (crowdfunding).

O acesso às funcionalidades, é claro, depende do uso dos tokens emitidos em ICO, já com data marcada para 25/02/2018, quando ocorrerá a pré-ICO (confira aqui), quando deve acontecer a venda de 474 milhões de tokens (79% do total). Interessante notar que os tokens não vendidos serão queimados, e há uma reserva estratégica para a própria equipe.


Starting Point

 

Uma das funcionalidades que chamam à atenção é o Starting Point. Em sua essência, a equipe quer popularizar a emissão de ICO, o que pode ser feito com o Starting Point, que permite que um usuário registre seu token no blockchain da Lunes, que então passará por uma votação transparente por parte da comunidade, que atestará a qualidade da proposta.

Assim, a própria comunidade escolherá os próximos projetos a serem financiados, em uma proposta que alça a liberdade econômica e a democracia a novos patamares, em uma promessa inovadora e que, certamente, ficaremos de olho!


Carteira híbrida

 

Outra interessante solução apresentada pela equipe é a criação de uma carteira híbrida – para web, desktop e mobile – com suporte crescente a múltiplas moedas em uma única carteira; além da possibilidade da emissão de papper wallets (não híbridas).

 

lunes market

Mercado Lunes

 

Como se não bastasse, a ambiciosa equipe também tem planos de introduzir um novo conceito de mercado de transações de criptomoedas, que incluem o próprio token Lunes e outras já conhecidas, como Bitcoin, Litecoin, Ethereum.

No Mercado Lunes, o usuário tem total controle de suas chaves públicas e privadas, em um processo de comércio descentralizado que, esperamos, será mais bem explicado com a chega do White Paper do projeto, prometida para o dia 10 de Janeiro de 2018.

Adicionalmente, a equipe já sonda corretoras estrangeiras sobre a possibilidade de incorporar a transação dos seus tokens em algum momento futuro.


Entrevista

Lucas Magno, CEO da Lunes

Entrevistado: Lucas Magno Brandão Cardeal

Cargo: Co-fundador e CEO da Lunes.

 

 

P– Qual é a motivação do projeto Lunes?

 

R: Sem duvida alguma é o desafio, a possibilidade de usar uma tecnologia disruptiva para solucionar os problemas das pessoas. É um desafio incrível, e estar trabalhando com o blockchain como engine na criação destas soluções não tem preço. O momento que estamos vivendo na história é um momento único, por isso, para a nossa equipe, não há motivação maior.

P– Poderia contar mais sobre a equipe por trás da execução?

 

R: O time, em 7 meses, passou de 4 pessoas para 17. Tive o prazer de convidar todos os profissionais. É uma equipe jovem e talentosa, porém com uma excelente capacitação técnica e possui uma sinergia incrível entre eles, tenho um prazer imenso em trabalhar ao lado de pessoas incríveis, aprendo muito todos os dias, sem duvida é uma das melhores equipes que tive oportunidade trabalhar.

A galera da engenharia e as demais áreas possuem  um alinhamento que vi rara vezes dentro de um projeto, porque sem dívidas todos têm o mesmo pensamento e um só objetivo, e com isto fica mais simples de superar os desafios diários.

P– Das funcionalidades da Lunes, você possui alguma favorita? Por quê?

 

R: Olha, pergunta difícil, é como perguntar ao pai se o filho recém nascido é bonito! Brincadeiras à parte, eu tenho um carinho especial ao “cartório digital”, é o serviço de registros de autenticidade do Lunes.

As aplicações e as possibilidades de uso são incríveis, a possibilidade de ter um cartório descentralizado, onde as pessoas não necessitarão mais de pegar filas, mas terão acesso 24 horas por dia e 365 dias do ano, à sua disposição, na palma da sua mão, ou a pouco cliques no seu computador, e tudo isso com um custo mínimo, preço justo e alto nível de qualidade. A possibilidade de colocar o velho e arcaico dos cartórios atuais nos museus, isto é encantador.

P– Quais foram os pontos altos e baixos do desenvolvimento da Lunes até agora?

 

R: Sem duvida o ponto alto é a aceitação do pessoal. A comunidade vem crescendo aos poucos, mas com solidez. Investidores interessados, tanto em fazer aporte direto ou comprar tokens ou até mesmo parcerias comerciais.

Por outro lado, a discussão da regulamentação das criptomoedas, isto sem duvida é preocupante, poderá levar projetos e pessoas incríveis para fora, e o Brasil mais uma vez estará se sabotando, em favor de grandes bancos e políticos sedentos por mais impostos.

P– Para quando podemos esperar o lançamento das funcionalidades da plataforma?

 

R: Pretendemos fazer os lançamentos betas dos produtos e serviços da Lunes a partir Q3 de 2018, mas o nosso roadmap é de 2 anos, entretanto, no final de Janeiro de 2018. Pretendemos disponibilizar o beta da nossa carteira multcoin a Wallet Lunes que vem com uma proposta bem interessante.

P– Os tokens poderão ser minerados ou serão apenas negociados?

 

R: Os dois, após a distribuição dos tokens, o usuário poderá “minerar”, em nosso casso o termo correto seria forja, o usuário poderá usar um determinado saldo em sua carteira para validar transações no blockchain Lunes, e com isto ganhar Lunes. No nosso whitepaper, que será lançado em breve no bitcointalk, iremos disponibilizar dados e os detalhes do processo.

P– Os tokens Lunes serão negociáveis em exchanges?

 

R: Sim, teremos nosso mercado próprio de troca, o Market Lunes que será descentralizado, lá será possível negociações dos tokens Lunes, e também estamos entrando em contato com as Exchanges estrangeiras, para adequar aos requisitos que cada uma delas pedem, algumas cobram uma valor bem relevante em BTC para listar novas moedas, e este é um dos objetivos da captação de recursos, outro ponto que é praticamente unânime nas Exchanges boas é volume de transações e uma comunidade forte, e estes requisitos sabemos que irá ocorrer em médio prazo.

P– Existe um limite para a emissão de tokens?

 

R– Sim, a emissão é limitada. Serão emitidos 600 milhões.

P– Como você vê o atual mercado de criptomoedas? Tem alguma moeda favorita? Por quê?

 

R: Está nascendo, temos um caminho de avanço e oportunidades gigantescas para trilhar. Além do Lunes, o Bitcoin, sem dúvida. Porque foi o big-bang que criou um novo universo tecnológico a ser explorado, ele esta trazendo ao mundo uma disruptura tecnológica, economica e filosófica.

P– Quais canais você acompanha para se manter atualizado sobre o mundo das criptomoedas?

 

R: Olha muitos, portais especializados de fora com Cointelegraph, medium, grupos no telegram etc., realmente é muita coisa que acompanho.

P– Gostaria de deixar algum recado para os leitores?

R: Venham conhecer nosso trabalho, especialmente nesta fase de desenvolvimento somos um dos principais projetos nacionais trabalhando com blockchain no Brasil.

 

Por Rômulo Caldas

Fonte: http://www.criptomundo.org/2017/12/28/lunes-a-moeda-brasileira-entrevista-com-co-fundador-e-ceo/

Comentários

Comentários