O que os Escritórios de Advocacia podem aprender com as Startups?

Pode parecer absurdo comparar um escritório de advocacia com uma startup, mas por incrível que pareça, há aprendizado nesse comparativo. 


Nesse artigo, trago algumas reflexões que podem dar abertura para um pensamento mais empreendedor dos escritórios de advocacia.


1- Foco


As startups nascem com poucos recursos, muitas vezes com apenas um ou dois integrantes em busca de alguma solução para a sociedade. Para que sobrevivam e consigam evoluir para o lançamento da solução, é condição ser focada no negócio, e em um negócio apenas. Não abraçar o mundo querendo resolver vários problemas de uma só vez. 


Para os escritórios de advocacia, existe como crescer sendo bem focado num segmento de mercado, que pode ser uma fatia da sociedade, um tipo de problema específico ou uma região do Brasil. Se tornar especialista e reconhecido num grupo menor é o caminho mais curto para multiplicar clientes, principalmente quando estamos falando de escritórios pequenos ou de advogados trabalhando “solo”.


2- Propósito


As startups nascem a partir de um propósito bem claro, geralmente buscam alguma solução para um problema conhecido ou trazem inovação numa proposta já existente. Ter a intenção de algo é o motivador de negócio de uma startup. Diferente da visão, missão, valores, dos objetivos e das metas, o propósito é ter intenção de resolver algo, e através dessa intenção, alcançar o sucesso financeiro.


Traçando um paralelo com os escritórios de advocacia, buscar um propósito de apoiar a sociedade utilizando recursos da lei é um propósito e a partir dele construir o business.


Alguns exemplos de propósitos para escritórios de advocacia:

Oferecer a melhor assessoria jurídica para os pequenos empreendedores serem competitivos 
Empoderar os consumidores do segmento x em defesa dos seus direitos
Ajudar as empresas a reduzir os impactos financeiros através da legislação tributária

Ou seja, indicar a intenção do trabalho, o motivo pelo qual as pessoas do escritório trabalham é o propósito do escritório.

3- Humildade e Agilidade 


Uma startup tem como premissa a humildade atrelada à agilidade para aprender com os erros. Como dizem: errar rápido e consertar mais rápido ainda. Com recursos limitados, o aprendizado precisa ser rapidamente assimilado por todos para que seja dado o próximo passo em direção ao sucesso. Esse aprendizado ágil só acontece com a humildade dos integrantes do negócio.


Ao escolher um modelo de gestão, tomar alguma decisão administrativa ou de gestão de pessoas que esteja equivocado ou que não atenda o objetivo traçado, os sócios de um escritório de advocacia devem (ter humildade para) rapidamente agir para ajustar e então traçar novos caminhos.  


4- Motivação


O diferencial de uma equipe é a motivação dela na realização das atividades. De nada adianta uma pessoa muito boa tecnicamente, porém sem motivação para aplicação dessa técnica. Numa startup, se a equipe não for motivada, o negócio não evolui, porque como falamos, com recursos limitados, todos – sem exceção –  precisam fazer diferença.


Num escritório de advocacia, a motivação em atender ao propósito também deve ser considerado para que o negócio tenha o maior sucesso possível dentro do campo de trabalho. Seja um administrativo ou um advogado, a motivação em entregar o seu melhor faz a diferença no final do mês. 


Um financeiro motivado a conhecer as melhores métricas para identificar o crescimento do escritório faz a diferença;
Um sócio que, genuinamente, atende ao cliente faz a diferença;
Uma recepcionista que recebe bem o cliente faz a diferença… e assim por diante com cada integrante da equipe

Independente do cargo ou atividade, cada componente do escritório pode contribuir dentro do seu campo de atuação. A motivação em fazer é o diferencial de cada um deles.


5- Inovação


A inovação é a alma de uma startup, sem inovação, algumas não existem, literalmente. Elas nascem para inovar algo já existente ou criar uma demanda inovadora. 


Nos escritórios de advocacia, a inovação pode entrar através de uma série de atividades para facilitar e agilizar o dia a dia do negócio. Um software de gestão de clientes, um aplicativo de gestão de projetos ou mesmo implementação de metodologias de estudos para melhor aplicar a lei são consideradas inovadores num escritório de advocacia.


A inovação não é exclusividade de startups, mas faz parte de um comportamento inquietador na busca de soluções alternativas para problemas existentes. Essa inquietação é da pessoa e não de um segmento de mercado ou estágio de uma empresa. Os escritórios de advocacia também podem ser inovadores.


6- Resiliência


De todas as características de uma startup, a resiliência é uma das mais necessárias… dados do SEBRAE apontam que 25% das empresas fecham antes de completar 2 anos. Existe todo um sonho ao abrir uma empresa, mas a manutenção dela em operação exige aterrissar na realidade e enfrentar as diversas dificuldades. Um empreendedor por natureza é aquele que cai diversas vezes mas se levanta e recomeça. João Kepler, um dos maiores investidor anjo do Brasil, diz que uma das premissas para escolher qual startup vai receber aporte é a quantidade de vezes que o empreendedor “quebrou” e se reinventou. 


Os escritórios de advocacia podem cultivar essa característica buscando, por exemplo, retomada de ações legais com análises através de outros ângulos, insistir em novos segmentos de mercado que podem não ter gerado frutos no passado e também em contato com clientes que não permaneceram em suas carteiras, mas que agora podem estar em outro cenário. 


Concluindo a reflexão, há como aprender com os diferentes de modelos de negócios existentes. Desde uma pequena e ágil até uma grande e conservadora. Cabe a cada um detectar o que é mais aplicável e factível ao negócio e se arriscar um pouco na implementação de ideias, na experimentação de novos modelos e formas de trabalho.

FONTE: https://borea.com.br/borea/artigos/100/o-que-os-escritorios-de-advocacia-podem-aprender-com-as-startups

Comentários

Comentários