Softbank desenvolve plataforma de blockchain para reduzir emissão de CO2

Na tentativa de minimizar as emissões de carbono na atmosfera, um grupo de empresas do Japão lançou um projeto piloto baseado em uma plataforma de blockchain.

O sistema permite que os pequenos e médios negócios instalados nas áreas rurais trabalhem cooperativamente e negociarem energia renovável entre si.

Endossado pelo Ministério do Meio Ambiente do Japão a proposta conta com o suporte tecnológico fornecido pela companhia de energia Tokyo Eletric Power e a expressiva instituição japonesa Softbank. O projeto será supervisionado pela startup Power Sharing.

O Softbank – que apesar de ter esse nome, atua no setor das telecomunicações – revelou que emprestará sua capacidade de autenticar informações críticas sobre o comércio de energia renovável.

Os dados coletados sobre negócios de energia serão então registrados e transacionados através da plataforma de blockchain desenvolvida em conjunto com os parceiros.

Cotas de CO2 para pequenas indústrias

A esperança, segundo a declaração, é usar o mecanismo para incentivar os residente da área rural do Japão na aderência à energia renovável, através de uma política de cooperação.

Ou seja, os pequenos e médios produtores, que não utilizarem sua capacidade total de consumo permitido, poderão vender o excesso de energia para os produtores que necessitem de mais poder energético sem, no entanto, prejudicar as cláusulas ambiental estabelecidas.

Os idealizadores defendem que os sistemas tradicionais poderiam fornecer uma plataforma para o comércio de energia renovável. No entanto, eles explicam que aplicar a fórmula para o grande público torna o projeto extremamente complexo.

Isso explica porque a venda e compra de cotas de CO2 ficam restritas às grandes corporações.

A utilização da tecnologia blockchain é a mais recente tentativa de alguns países, juntamente com grandes corporações mundiais, para minimizar as emissões de carbono do setor de energia. A IBM da China é um desses exemplo.

No final do ano passado, a companhia foi notícia ao anunciar uma plataforma de blockchain que incentiva empresas do setor de energia a negociarem suas cotas de emissão de CO2 não utilizados. A proposta é parte do esforço mais amplo do país para combater a poluição do ar.

 

Por Coindesk

Fonte: https://criptoeconomia.com.br/softbank-desenvolve-plataforma-de-blockchain-para-reduzir-emissao-de-co2/

 

Comentários

Comentários